Notícias

16/11/2017
Eletricitários da Cemig referendam decisão de assinatura do ACT

Os eletricitários empregados da Cemig, dentre engenheiros, administradores, contabilistas e trabalhadores de categorias inorganizadas (Assistentes Sociais, Geógrafas (os), Secretárias (os), Geólogas (os), etc) participaram nesta terça-feira da assembleia conjunta convocada pela Federação dos Trabalhadores nas Indústrias Urbanas no Estado de Minas Gerais – Urbanos/MG, o Sindicato dos Engenheiros no Estado de Minas Gerais – Senge/MG e o Sindicatos dos Administradores no Estado de Minas Gerais – Saemg.

O objetivo da convocação da assembleia foi pontuar junto aos trabalhadores as negociações ocorridas na última sexta-feira entre os representantes sindicais e a empresa; esclarecer as dúvidas dos trabalhadores; apreciar e ratificar as decisões das entidades de assinatura do acordo coletivo de trabalho 2017-2019, além de discutir e deliberar sobre a proposta de PLR apresentada pela empresa.

O diretor do Senge, Welhiton Silva, abriu a assembleia esclarecendo aos trabalhadores como se deu a negociação na sexta-feira, último de dia de vigor da lei trabalhista. O presidente da Federação Urbanos/MG, Everson Tardeli, ressaltou pontos importantes de mudança no ACT e destacou a relevância da assinatura do acordo ter acontecido ainda sob a lei trabalhista sem as alterações da reforma.

“Não é comum aqui na Cemig essa atitude de assinar proposta em mesa. A nossa prática é de trazer para assembleia e colocar em votação, mas acontece que o cenário que foi colocado na última sexta-feira foi bem diferente e não tenho dúvidas que a atitude que tivemos foi um ato de coragem. Os dirigentes sindicais que estavam presentes, assessorados pelos advogados das entidades, discutiram e chegaram a conclusão que seria fundamental fechar o acordo ainda no dia 10 de novembro”, comentou Everson Tardeli.

Uma das vitórias apontadas pelo presidente da Federação é que os dirigentes sindicais presentes conseguiram fazer com que o acordo coletivo tenha vigência de dois anos, e não somente um conforme os acordos anteriores. Desta forma os direitos e avanços conquistados pelos trabalhadores da Cemig ficam resguardados por um maior período, principalmente nesse momento de incertezas sobre a aplicação prática das novas leis trabalhistas, que passaram a vigorar no país desde o último dia 11/11/2017.

Ao final, a grande maioria dos trabalhadores referendou a decisão tomada pelos dirigentes sindicais em 10/11/2017, pela aceitação e assinatura do Acordo Coletivo 2017-2019, por 185 votos contra 21 e deliberaram pela rejeição da proposta de PLR, por 197 votos contra 09.

© 2014 Urbanos MG - Todos os direitos reservados